Arquivo | Março, 2009

O sorriso torto do gato da alice

31 Mar
Começo da noite em Nova York, dezembro de 2006/ imagem: arquivo pessoal

Começo da noite em Nova York, dezembro de 2006/ imagem: arquivo pessoal

Fly Me to the Moon
Frank Sinatra

“Fly me to the moon
Let me play among the stars
Let me see what spring is like on
Jupiter and Mars”

Fora d’água

30 Mar

Mick Jagger largado na cama e bem acompanhado

Mick Jagger largado na cama e bem acompanhado

por Bárbara Bom Angelo

O blog Design You Trust selecionou ótimas imagens de lendas do rock fora de seu habitat natural. Mesmo sem a iluminação pesada e a aura quase espiritual do palco, eles continuam com toda a majestade.

John Lennon se esbaldando nas águas de alguma praia

John Lennon se esbaldando nas águas de alguma praia

Keith Richards bem encaixado em um carrinho de bebê vintage

Keith Richards bem encaixado em um carrinho de bebê vintage

Jimi Hendrix cercado por seres de gosto fashion duvidoso

Jimi Hendrix cercado por seres de gosto fashion duvidoso

Tigelas reunidas

29 Mar

por Bárbara Bom Angelo

Depois do HydeTube, espécie de YouTube apenas para curtas, é a vez de uma versão totalmente dedicada aos quatro garotos com cabelo de tigela mais famosos do mundo. No BeatlesTube você encontra quase todas as músicas do grupo e ainda pode acompanhar os vídeos com a letra ao lado, bem no estilo “sing-a-long”.

Vale a pena assistir as apresentações ao vivo, como o lendário show surpresa feito em cima de um prédio londrino, em 1969. Abaixo você pode conferir a segunda das três partes que eternizaram a ousadia dos Beatles.

Mal onipresente

28 Mar

imagem: flickr_kilgub

imagem: flickr_kilgub

 

por Bárbara Bom Angelo

De tempos em tempos surgem fatos que não saem nem do noticiário nem de qulaquer conversa, por mais informal que seja. A crise mundial é o fenômeno onipresente da vez.

A certa altura, a mesmice atinge um alto grau de saturação e paramos de encarar o acontecimento como algo real, ele fica pairando sob nossos pensamentos quase como um folclore. É a velha história da vulgarização dos temas: quanto mais você fala sobre eles, mais a dimensão exata das coisas desaparece.

imagem: flickr_diong

imagem: flickr_diong

Por isso, em vez de falar das consequências e soluções para você-sabe-o-quê, a Slate, revista online sobre cultura e política, lançou o projeto Shoot the Recession. Os leitores foram convidados a mostrar como eles, literalmente, veem o pagão econômico e, para isso, deviam mandar fotos para representar as angústias mundiais.

Um grupo no Flickr reúne todas as manifestações enviadas e já contabiliza quase 250 fotos.  Vale a pena visitar para tornar tangível algo que ainda vai nos perturbar por muitos meses.

A França na Avenida Paulista

27 Mar
(imagem: Flickr)

(imagem: Flickr)

por Natália Albertoni

De 21 de abril a 15 de novembro de 2009, o Brasil acolhe o Ano da França com ações por todas as capitais do país. O espetáculo de abertura acontece no Rio de Janeiro apenas no próximo mês, mas em território paulista já é possível entrar no clima à la française.

A partir desta semana até novembro, será exibida uma sessão de cinema francês no Reserva Cultural, na Av. Paulista, sempre um domingo por mês, às 11h. Desembolsando R$ 5,00, você poderá assistir ao filme e ainda tomar um café da manhã no local.

Como as salas estão sujeitas a lotação, fique atento para garantir o seu acesso. Os ingressos podem ser retirados na bilheteria na sexta-feira anterior à apresentação, da 13h às 22h ou no próprio dia do evento, às 10h30.

O primeiro ciclo de longas tem como tema “A Escola na França: diversidade e dilemas contemporâneos”. Neste domingo, o escolhido é “A Esquiva” (2004), de Abdelattif Keniche, ganhador de cinco prêmios César (o Oscar francês), incluindo Melhor Filme e Melhor Diretor,

Ainda no mesmo circuito, “Quando tudo começa…” (1999), dirigido por Bertrand Tavernier e recompensado pelos prêmios da Crítica Internacional e do Júri Ecumênico no Festival de Berlim, e “Ser e Ter…” (2002), de Nicolas Philibert, documentário com sucesso histórico de bilheteria na França, podem ser assistidos nos dias 26 de abril e 24 de maio, respectivamente, também no Reserva Cultural.

  • **

Vá:

Ciné-club Aliança Francesa, Fnac e Reserva Cultural
De março a novembro, um domingo por mês às 11h
Reserva Cultural – Av. Paulista, 900
Entrada R$ 5,00 – retirar o ingresso na sexta-feira anterior à exibição das 13h às 22h

29/03
“A Esquiva” (2004)
De Abdelattif Keniche
Duração 117’. Censura 12 anos

26/04
“Quando tudo começa…” (1999)
De Bertrand Tavernier
Duração 117’. Censura 12 anos

24/05
“Ser e Ter…” (2002)
De Nicolas Philibert
Duração 107’. Censura Livre

Cinema da garoa

26 Mar

por Natália Albertoni

Começa hoje o ciclo Cinema Paulista Contemporâneo que até 5/04 apresenta produções recentes de cineastas da terra da garoa como Carlos Reichenbach, Tata Amaral e Evaldo Mocarzel.

As exibições acontecem no Centro Cultural São Paulo no formato 35 mm. Para abrir o festival, foi escolhido “Contra Todos” (2004), filme de estreia de Roberto Moreira como diretor de longas-metragens.

Com todos os planos realizados com a câmera na mão e alguma improvisação, visto que os atores aceitaram os papéis antes de terem acesso ao roteiro, o trabalho ao diretor o Silver Firebird Award for Young Cinema, no Festival Internacional de Cinema de Hong Kong, o de melhor atriz para Sílvia Lourenço no Festival Latino-Americano de Trieste, além de prêmios brasileiros como melhor filme e melhor atriz (Sílvia Lourenço) no Festival do Rio.

Podem ser conferidos ainda hoje “Bens Confiscados” (2005), de Carlos Reinchenbach e “Antônia” (2006), de Tata Amaral.
A programação completa você pode verificar aqui.

  • **

Vá:

Cinema Paulista Contemporâneo
Centro Cultural São Paulo – R. Vergueiro, 1000 (tel: 3397-4002)
Entrada Franca – retirar ingresso com uma hora de antecedência

A tardinha, o barquinho

25 Mar
Búzios - Fevereiro/ 2009 - arquivo pessoal

Búzios - Fevereiro/ 2009 - arquivo pessoal

O Barquinho
(Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli)

Dia de luz, festa de sol
E o barquinho a deslizar
No macio azul do mar
Tudo é verão, o amor se faz
Num barquinho pelo mar
Desliza sem parar…
Sem intenção, nossa canção
Vai saindo desse mar e o sol
Beija o barco e luz
Dias tão azuis
Beija o barco e luz
Dias tão azuis
Volta do mar, desmaia o sol
E o barquinho a deslizar
E a vontade é de cantar
Céu tão azul, ilhas do sul
O barquinho é o coração
Deslizando na canção
Tudo isso é paz, tudo isso traz
Uma calma de verão
E então
O barquinho vai, a tardinha cai
O barquinho vai, a tardinha cai

Cinema verdade

24 Mar

Cena de "Garapa", documentário de José Padilha / imagem: divulgação

Cena de "Garapa", documentário de José Padilha / imagem: divulgação

por Bárbara Bom Angelo

Sempre nessa época do ano, final de março e começo de abril, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília recebem uma leva dos melhores documentários nacionais e internacionais.

E é nessa quarta-feira (25) que começa a disputa pelos R$ 100 mil da 14ª edição do Festival É Tudo Verdade.  Entre os sete concorrentes nacionais estão as produções mais recentes de Eduardo Coutinho e José Padilha.

Em Garapa, o foco de Padilha recaí sobre três famílias cearenses que vivem contornando a fome. O longa foi exibido no último Festival de Berlim e é o primeiro trabalho do diretor após Tropa de Elite.

Eduardo Coutinho, por sua vez, documenta os ensaios da peça “Três Irmãs”, de Tchecov, pelos mineiros do Grupo Galpão. A encenação foi feita exclusivamente para o filme.

Outro que está na corrida pelo prêmio é A Chave da Casa, de Paschoal Samora e Stela Grisotti. O longa fala sobre a vida de exilados palestinos de origem iraquiana que fazem a transição de um campo de refugiados na Jordânia para o Brasil.

Tive a oportunidade de assistir algumas partes não finalizadas desse documentário em um curso que fiz na Academia Internacional de Cinema. As imagens são tocantes, principalmente um trecho em que um dos exilados fala sobre a tristeza de não se ter uma pátria por qual lutar, um chão para voltar e como isso influencia na formação individual da personalidade.

Completam a competição Cidadão Boilesen, de Chain Litewski; Cildo, de Gustavo Rosa de Moura; Corumbiara, de Vicent Carelli e Sobreviventes, de Miriam Chnaidermann e Reinaldo Pinheiro.

Dobradinha

No começo de março, a organização do festival anunciou que o evento terá duas edições por ano. A Mostra Competitiva continuará acontecendo no mesmo período, mas agora contará com Mostras Especiais no segundo semestre. 

Segundo o fundador e diretor do É Tudo Verdade, Amir Labaki, a iniciativa busca “aumentar a presença dos documentários no calendário anual”.

A relação de cinemas partcipantes e a programação completa pode ser vista aqui. Vale lembrar que as sessões são de graça, basta retirar os ingressos com cerca de uma hora de antecedência.

O festival termina no dia 5 de abril. Em Brasília, as exibições não acontecem na mesma data que no Rio e São Paulo, por lá o evento vai do dia 14 até 26 de abril.

As legítimas na Europa

23 Mar

 

Havaianas nos gramados da Torre Effeil

Havaianas nos gramados da Torre Eiffel, em Paris

 por Bárbara Bom Angelo

No último sábado (21), para comemorar o início da estação das flores no hemisfério norte e a nova coleção, a Havaianas espalhou suas famosas sandálias por várias capitais européias. O resultado é essa imensidão de borrachas coloridas emolduradas por cenários icônicos.

Sandálias escoltadas pelo Coliseu, em Roma

Sandálias escoltadas pelo Coliseu, em Roma

Havaianas na Torre de Londres
Havaianas na Torre de Londres

Olho de vidro e cara de mau

23 Mar

pirate

por Bárbara Bom Angelo

Desde que teve início na Suécia o julgamento dos criadores do site The Pirate Bay, no dia 16 de fevereiro desse ano, um movimento online tem crescido para que eles não sejam vistos como criminosos.

 O portal, que disponibilza links para o download de diversos arquivos, tem cerca de 22 milhões de usuários. A maioria desses não consideram estar quebrando leis de direito autoral. Os downloads seriam necessários por causa dos altos preços cobrados por CDs e DVDs, fora os astrônomicos ingressos de cinema. 

Como forma de mostrar quem são os verdadeiros beneficiários dos “arquivos ilegais” e destruir a imagem perversa que se faz do ato de baixar arquivos na internet, o FileSharer.org convida a todos que mandem suas fotos para fazer parte da parede dos fora da lei, sob o slogan “this is what a criminal looks like”.

O processo foi movido pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica e a sentença sai apenas no dia 17 de abril. A torcida para que Fredik Neij, Gottfrid Svartholm, Peter Sunde e Carl Lundström é grande. Ah, enquanto não sair o parecer da justiça sueca, o site continua no ar.