Rio Negro do alto da máquina alada

20 Jul

por Bárbara Bom Angelo

Estou de volta à cidade caos depois de uma semana rodeada de tucunarés, pirarucus, tambaquis, açaí e pesquisadores de bigodes e sotaques fartos. Tudo isso em uma Manaus banhada pelo suor de uma temperatura mínima de 35º e atravancada por carros malucos que desconhecem setas, faixas e, ainda bem, buzinas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: