Arquivo | Outubro, 2011

Clipe lindo do dia | Man Man – Piranhas Club

31 Out

Mais Boy

28 Out

 

Mais música da dupla Boy, formada por Valeska Steiner e Sonja Glass. Agora é a vez de Drive Darling viciar os ouvidos.

A história das letras de música que não são letras

28 Out

 

por Natália Albertoni

26 músicas, 47 anos.

Na descrição do vídeo no YouTube, a informação é que a brincadeira acima foi aprendida em 90 minutos e a versão final feita em quatro takes. Dirigido por Joe Sabia,  o filmete tem Jane Lui no vocal, Michael T. no baixo e Jonathan Batiste no piano.

Diversão pouca é bobagem!

Dica da @karinacosta.

 

Kirsten Dunst e R.E.M | We All Go Back To Where We Belong

27 Out

por Bárbara Bom Angelo

A canção acima fará parte da coletânea Part Lies, Part Heart, Part Truth, Part Garbage: 1982 – 2011, que vai ser lançada dia 15 de novembro. E aí é o fim.

Você ainda julga o livro pela capa?

27 Out

 

O vídeo já não é mais novidade, mas não poderia faltar por aqui.

Te julgando pelo seu ipod

19 Out

Vi aqui

 

O que é som para você?

19 Out

Três músicas novas da Florence + The Machine e ao vivo

18 Out

por Bárbara Bom Angelo

Sem palavras pra você, Florence.

Via Rock ‘n’ Beats

E o cover que o Bombay Bicycle Club fez de Video Games da Lana Del Rey?

18 Out

Aqui:

Os gigantes de Roa

18 Out

por Natália Albertoni

Depois de estampar os muros de cidades da França, Espanha, do México e dos Estados Unidos, o artista belga Roa foi convidado a participar de um projeto tão belo quanto suas criaturas gigantes e melancólicas,  o Wide Open Walls.

A organização fundada no Gambia por Lawrence Williams tem o objetivo de incorporar instalações de arte urbana  em comunidades locais. Desta forma, o WOW acredita que possa servir de inspiração e ainda promover a região como ponto turístico. Para esta iniciativa, além de Roa, foram convidados outros sete profissionais.

O seu trabalho em P&B se mistura à paisagem seca e terrosa, curiosamente, ocupando lugares que parecia já pertencer. Os animais são muito vivos e ao mesmo tempo abatidos, talvez reflexo do que o artista encontrou por lá. Ou senão, uma graça para destacar a alegria colorida das crianças, que como todas as outras no mundo, se divertem com pouco.

Vi aqui e não entendi muito (clica para ver). Mas jornalista é curioso…
Dica da @feefofa.