Tag Archives: projeto

Antes de morrer eu quero viver

15 Jun

por Bárbara Bom Angelo

Vi o projeto Before I die I want to agora à tarde no site da Revista Tpm e me encantei. Trata-se de uma compilação de polaroids com o que várias pessoas desejam fazer antes de morrer, como o próprio nome sugere. E todos podem participar, basta seguir as instruções que estão no site.

Wallpeople em São Paulo e no Rio no dia 2 de julho

13 Jun

por Bárbara Bom Angelo

No dia 2 de julho, as cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro vão participar pela primeira vez do  projeto Wallpeople – um mural gigante e colaborativo de fotos que vai ser montado esse ano em mais de 20 cidades ao mesmo tempo. Funciona assim: todo ano os organizadores do evento definem um tema, você bola uma imagem que tenha a ver com ele, leva no lugar determinado e cola seu instante eterno no meio de outros tantos.

Esse ano a missão é capturar a felicidade. Os locais ainda vão ser divulgados. Então, é aproveitar esses quase 20 dias que faltam para pensar em algo bem bacana para sua contribuição.

Aqui no Brasil a organização está por conta do IdeaFixa, Inesplorato, Fuso Coletivo e I Hate Flash.

Mais infos abaixo, no textinho que foi feito para o evento criado no Facebook. E se quiser saber ainda mais é só entrar aqui, no site oficial.

Vamos construir o mural da felicidade!

A felicidade é um sentimento universal que todos podem sentir, mas ao mesmo tempo é algo pessoal e único. Há mil motivos pelos quais alguém pode chegar a ser feliz, e para cada pessoa são diferentes. No entanto, a publicidade, os meios de comunicação, as séries de televisão e outros estímulos que recebemos diariamente mostram-nos muitas vezes um estereótipo de felicidade, irreal, artificial…, que não corresponde à realidade quotidiana.

Chegou o momento de as pessoas mostrarem, através das suas fotografias, o que é que realmente as faz felizes. Um momento especial, uma sensação, um lugar, uma pessoa, uma ideia, um detalhe, tudo vale desde que reflicta um instante de autentica felicidade.

No dia 2 de julho, em mais de 20 cidades simultaneamente, pessoas anónimas com as suas fotografias tornar-se-ão nas autênticas protagonistas de uma exposição única. Uma parede transformada em museu improvisado ao ar livre, onde todos poderão expor e observar as fotografias dos demais. Todos sabemos o que nos faz felizes, mas o que é a felicidade para o resto do mundo? Brevemente o descobriremos.

Como participar

• No sábado 2 de julho de 2011 dirige-te ao lugar indicado com uma ou várias fotografias impressas que reflictam para ti uma imagem de felicidade.
• O formato e o tamanho são livres, no entanto não aceitamos imagens gigantes (1×1 metro) ou que possam ferir sensibilidades.
• O horário de criação do muro e duração da exposição estará indicado no Evento do Facebook. Trata-se de uma acção efémera, que apenas durará duas horas.
• A organização disponibilizará “bostik” e fita-cola para que os participantes colem as suas fotografias. No entanto, recomendamos que também leves “bostik” ou fita-cola para facilitar o processo.
• Cola a tua foto ao lado de outra, separada apenas por uma pequena margem. Respeita as outras fotografias.
• Uma vez que o mural esteja completo e passado um tempo de exposição, a organização dará um aviso para indicar o fim da obra.
• Neste momento poderás retirar as tuas próprias fotografias ou levar a de outro participante.
• No caso de desejares que alguém leve a tua foto podes pôr o teu e-mail no dorso para que a pessoa que a retire possa fazer-te um comentário, e assim tornar o mural numa experiencia mais interactiva.
• As fotografias que sobrem serão retiradas pela organização e não serão utilizadas para nenhum outro fim.

***É possível que se tirem algumas fotografias para reprodução nalgum meio editorial e de comunicação.

#EuSouGay, o projeto

13 Abr

por Bárbara Bom Angelo

Vi no don’t touch my moleskine e me encantei com a iniciativa liderada por Carol Almeida:

Adriele Camacho de Almeida, 16 anos, foi encontrada morta na pequena cidade de Tarumã, Goiás, no último dia 6. O fazendeiro Cláudio Roberto de Assis, 36 anos, e seus dois filhos, um de 17 e outro de 13 anos, estão detidos e são acusados do assassinato. Segundo o delegado, o crime é de homofobia. Adriele era namorada da filha do fazendeiro que nunca admitiu o relacionamento das duas. E ainda que essa suspeita não se prove verdade, é preciso dizer algo.

Eu conhecia Adriele Camacho de Almeida. E você conhecia também. Porque Adriele somos nós. Assim, com sua morte, morremos um pouco. A menina que aos 16 anos foi, segundo testemunhas, ameaçada de morte e assassinada por namorar uma outra menina, é aquela carta de amor que você teve vergonha de entregar, é o sorriso discreto que veio depois daquele olhar cruzado, é o telefonema que não queríamos desligar. É cada vez mais difícil acreditar, mas tudo indica que Adriele foi vítima de um crime de ódio porque, vulnerável como todos nós, estava amando.

Sem conseguir entender mais nada depois de uma semana de “Bolsonaros”, me perguntei o que era possível ser feito. O que, se Adriele e tantos outros já morreram? Sim, porque estamos falando de um país que acaba de registrar um aumento de mais de 30% em assassinatos de homossexuais, entre gays, lésbicas e travestis.

E me ocorreu que, nessa ideia de que também morremos um pouco quando os nossos se vão, todos, eu, você, pais, filhos e amigos podemos e devemos ser gays. Porque a afirmação de ser gay já deixou de ser uma questão de orientação sexual.

Ser gay é uma questão de posicionamento e atitude diante desse mundo tão miseravelmente cheio de raiva.

Ser gay é ter o seu direito negado. É ser interrompido. Quantos de nós não nos reconhecemos assim?

Quero então compartilhar essa ideia com todos.

Sejamos gays.

Independente de idade, sexo, cor, religião e, sobretudo, independente de orientação sexual, é hora de passar a seguinte mensagem pra fora da janela: #EUSOUGAY

Para que sejamos vistos e ouvidos é simples:

1) Basta que cada um de vocês, sozinhos ou acompanhados da família, namorado, namorada, marido, mulher, amigo, amiga, presidente, presidenta, tirem uma foto com um cartaz, folha, post-it, o que for mais conveniente, com a seguinte mensagem estampada: #EUSOUGAY

2) Enviar essa foto para o mail projetoeusougay@gmail.com

3) E só :-)

Todas essas imagens serão usadas em uma vídeo-montagem será divulgada pelo You Tube e, se tudo der certo, por festivais, fóruns, palestras, mesas-redondas e no monitor de várias pessoas que tomam a todos nós que amamos por seres invisíveis.

A edição desse vídeo será feita pelo Daniel Ribeiro, diretor de curtas que, além de lindos de morrer, são super premiados: Café com LeiteEu Não Quero Voltar Sozinho.

Quanto à minha pessoa, me chamo Carol Almeida, sou jornalista e espero por um mundo melhor, sempre.

As fotos podem ser enviadas até o dia 1º de maio.

Como diria uma canção de ninar da banda Belle & Sebastian: ”Faça algo bonito enquanto você pode. Não adormeça.” Não vamos adormecer. Vamos acordar. Acordar Adriele.

De volta para o futuro com as suas fotos

18 Fev

por Bárbara Bom Angelo

De tanto xeretar nas fotos antigas dos outros, a fotógrafa argentina Irina Werning decidiu criar o projeto Back to the Future. Tudo para concretizar a sua imaginação que ia bem longe formando imagens de como aquelas poses do passado ficariam se reencenadas nos dias de hoje. E ela não botou pouco esforço no assunto, não viu? Quero fazer o mesmo já. Mais fotos aqui, no site da moça.

Missão de sexta-feira

15 Fev

por Bárbara Bom Angelo

O projeto Instamission entrou no ar não faz nem três semanas, mas já trouxe uma alegria a mais para as nossas sextas-feiras. Nestes dias com gosto de liberdade, Luiza Voll e Daniela Arrais definem uma missão que deve ser completada com o dedo no gatilho de Iphones ou de qualquer outra câmera fotográfica. Para quem tem Iphone basta começar a usar o app Instagram, seguir o @instamission e ficar ligado na próxima missão. As fotos devem ser postadas com a tag #instamission.

E como o resto dos mortais fizeram coro, as meninas encontraram um jeitinho de todos participarem. É só acompanhar o Twitter e o Facebook do projeto e publicar as imagens, sempre usando a tag #instamission. Todas as fotos são arquivadas no Instagram e em breve no instamission.com.

O Tweak Today tem uma proposta parecida, lembram?

A primeira missão, no dia 4 de fevereiro

E a missão de 11 de fevereiro

Eu te amo, mas…

4 Nov

por Bárbara Bom Angelo

O amor é grande, mas sempre existem coisas minúsculas que o matam. É esse o mote do projeto I love you but…, de Alex Holder e Ross Neil.

A arte postal e o fim do tédio pardo e branco

30 Set

Imagem2

por Bárbara Bom Angelo

A arte postal já esteve muito em alta por aqui. Os envelopes ilustrados e carregados de beleza externa costumavam viajar pelas caixas de correios tupiniquins, ofuscando os seus colegas pardos e brancos. Quem me colocou a par disso tudo foi a minha sogra, que é formada em artes plásticas, e, desde então, ando caçando exemplos e pesquisando mais sobre o assunto.

E eis que me deparo com o projeto Mail Me Art, do artista inglês Darren Di Lieto. Ainda em 2008, ele começou a reunir trabalhos enviados por artistas profissionais e amadores. Selecionou os melhores e acabou montando em abril deste ano uma exposição na galeria Red Gate, em Londres. E o conjunto de ilustrações também virou livro: Mail Me Art: Going Postal with the World’s Best Illustrators and Designers.

A segunda etapa já está em andamento e vai até abril, quando outra exposição começará. Aqueles que têm habilidades elevadas no campo do desenho devem enviar seus frutos para o endereço abaixo:

Mail Me Art
37 Thames Court
Victoria Avenue
West Molesey
Surrey KT8 1TP
United Kingdom

Imagem3

Imagem4

Imagem5

Imagem6

Imagem7