Tag Archives: roupas

O estilo na música

29 Out

Quer comprar este pôster? Clica aqui.

Arte no rolo

6 Jan

por Bárbara Bom Angelo

A artista francesa Anastassia Elias não deixa o rolinhos de papelão que costumavam sustentar o papel higiênico irem para o lixo. Nas suas mãos eles viram espécies de esculturas que recriam cenas de mercado, a poltrona da vovó, roupas estendidas no varal…

Super Cool Market e o consumo responsável

30 Jul

market

por Bárbara Bom Angelo

Depois do Uniform Project criado pela indiana Sheena Matheiken, eis que surge mais um incentivo para repensarmos a quantidade de roupas que compramos sem realmente precisar e uma boa solução para aquelas peças que não usamos a séculos: o Super Cool Market.

As três sócias: Samantha, Carla e Daniela

As três sócias: Samantha, Carla e Daniela

De acordo com a definição das três responsáveis pela a iniciativa, Daniela Kleiman, Carla Lamarca e Samantha Barbieri, trata-se de uma loja multidisciplinar – um espaço onde você pode vender os trajes que já não te agradam mais (e trocar por dinheiro ou crédito), comprar peças usadas e outras novas a preços bem bacanas e de estilistas iniciantes, assistir a shows, fazer cursos e visitar exposições. Ufa!

E além disso, as peças que não forem consideradas “comercializáveis” serão doadas para uma instituição beneficente, que é definda mês a mês. Em agosto, a escolhida é a Cidade Escola Aprendiz, um espaço educativo criado pelo Gilberto Dimenstein.

 Tudo para promover o consumo responsável.

*Dica da Kaka Gouvea, no B-Coolt dessa semana


Super Cool Market
rua Purpurina, 219 – Vila Madalena
Aberto de segunda à sexta, das 10h às 20h, e ao sábados, das 10h às 18h
(11) 3031-1663

Roupa, para que te quero?

16 Jun

vestido

por Bárbara Bom Angelo

Moda sustentável não se resume a tecidos recicláveis ou cuja produção não afete o meio ambiente. Há mais coisas nessa história, como, por exemplo, usar mais as roupas que estão no seu armário, em vez de a cada passeio comprar uma peça nova. Nas profundezas das prateleiras sem fim existem opções que insistimos em não ver.

Nessa onda de reinventar estilos com o que se tem na mão, Sheena Matheiken criou o Uniform Project. O resumo de tudo é que essa designer indiana, que hoje mora no bairro nova-iorquino do Brooklin, vai usar o mesmo vestido durante 365 dias. Isso mesmo, a mesma roupa ao longo de um ano.

Por uma questão óbvia de higiene, a peça não é sempre a mesma. Uma amiga estilista de Matheiken criou sete versões idênticas do mesmo modelo. E desde o primeiro dia do mês de maio, o pretinho básico tem sido usado e modificado com acessórios vintages, feitos à mão ou doados.

A ideia surgiu para mostrar que não precisamos de tantas roupas e para fazer com que crianças do mundo todo usem seus uniformes com mais criatividade e, assim, deixem de odiá-lo.

Lá no site, além de ver todos os looks usados por ela até agora, é possível fazer uma doação em dinheiro, que será revertida para Akanksha Foundation, organização voltada para a melhoria da educação na Índia. Uma parte da arrecadação será destinada para a compra de uniformes para crianças carentes, por exemplo.

Vale a pena também ver o esforço que a Ana Carolina, do blog Hoje Vou Assim Off (versão mais acessível do Hoje Vou Assim da Cristiana Guerra), está fazendo para não comprar nadinha por aí. O “sacrifício” começou no início desse mês e está durando até agora. Para se inspirar.

Lavagem de roupa suja

10 Abr
imagem: flickr_wbirt1

imagem: flickr_wbirt1

por Bárbara Bom Angelo

Mesmo para aqueles com pavor de avião, a pior parte da viagem nunca acaba quando se encosta no chão. Depois de passar pelo controle da polícia federal vem a mais indigesta tarefa de todas: esperar a sua mala vir rolando esteira adentro.

A penosidade não está apenas no fato de ter que arrancar seus pertences velozmente no meio de um amontoado de gente. O mais difícil é ver a bagagem dos outros chegar e perceber que não existe nenhum sinal da sua.

Fazer o quê frente a realidade de que suas coisas foram perdidas ou até mesmo roubadas? Chorar? Sim, mas depois de muitas lágrimas despendidas no balcão da companhia aérea ainda te resta uma última esperança.

O site Is This Your Lugagge? reúne algumas malas que foram extraviadas ou esquecidas (acreditem, acontece) na tentativa de encontrar o dono. Para ter certeza que de aquele é o invólucro que guarda suas preciosidades, estão disponíveis fotos do recheio das bagagens.

mala_aberta

Segundo o criador da página (que não se identifica), os aeroportos costumam guardar as malas encontradas por algum tempo. Quando o dono não aparece, as roupas são levadas a leilão. E é lá que essa boa alma compra para si as valises e tira fotos, esperando que alguém as reconheça.

Na descrição do site, é possível perceber as boas intenções desse ser, mas também se vê uma pontinha de voyeurismo na prática. No entanto, a tara dos outros podem ser bem útil nesse caso.